15 de julho de 2017

TRAVELING | NYC: The High Line


Uma das coisas que mais me entristece numa cidade é ver uma data de locais abandonados. Como sabem, em Portugal não faltam situações dessas. A prova disso está no projecto fotográfico Off Sight do qual faço parte. Muitas vezes são locais cheios de potencial para reabilitação que acabam por ficar por aí a apodrecer. Em NYC encontrei um dos melhores exemplos de reabilitação que já vi e que acabou por ser um dos meus locais favoritos destas férias: o The High Line. Originalmente, The High Line era uma linha de caminho de ferro, que foi construída entre 1929 e 1934, para transportar diversos bens alimentares e de consumo entre armazéns e fábricas de NYC. A esta linha deram o nome The High Line porque foi construída acima do solo, numa tentativa de retirar os comboios do nível das estradas, elevando-os e ganhando espaço de circulação. Acho que toda a gente tem a noção daquelas linhas de comboio entre prédios que se costumam ver nos filmes, certo? Era algo como isso. Em 1980, os comboios pararam de circular e em 2002 decidiram transformar a High Line num parque verde suspenso com caminho pedonal. Uma ideia fantástica, no mínimo.




Este parque situa-se na zona oeste de Manhattan, desde Gansevoort Street (no Meatpacking District) até à West 34 Street, e entre a 10th and 12th Avenue. O percurso total do High Line tem 2.33 km mas não são obrigados a fazê-lo na sua totalidade, pois possui diversas entradas e saídas ao longo do trajecto. Na época alta, está aberto entre as 7 da manhã e as 11 da noite, sendo a entrada totalmente gratuita. Apesar de ser um parque suspenso, o High Line é adequado a pessoas com mobilidade reduzida, pois algumas das suas entradas podem ser feitas por elevador.





No High Line podem encontrar diversas zonas distintas. Em alguns locais, o percurso é cimentado e apenas com alguma vegetação mais rasteira. Noutros locais encontram cadeiras para descansar, zonas com água e relvados mais amplos. Podem também passar por zonas mais estreitas, entre prédios, e com passadiços de madeira. Este parque possui também alguns sítios que funcionam como miradouros, onde podem as ruas da cidade. Acho que um dos encantos do High Line é precisamente esta diversidade de zonas, cada uma delas mais inesperada do que a outra. À medida que vamos caminhado neste parque, somos surpreendidos por todas estas zonas que vão aparecendo e que fazem com que façamos os 2.3 km sem dar conta.








Como já devem ter reparado pelas fotografias, ao longo do percurso é ainda visível a antiga linha de comboio. Achei mesmo gira a forma como aproveitaram a linha para manter alguma vegetação e plantar flores. Ao longo da linha, podem também encontrar diversas obras de arte, principalmente esculturas e pinturas. É, sem dúvida, um parque alternativo e com uma grande vertente cultural. Relativamente a zonas de apoio, ao longo do caminho têm alguns bebedouros e também zonas para comer, embora estas não tenham muita variedade. Se quiserem comer por lá, aconselho-vos a trazer alguma coisa da rua.





No geral, adorei os parques e zonas verdes de Nova Iorque, mas o High Line foi um dos que mais gostei. Não estava nada à espera de encontrar algo assim e acho que é um sítio obrigatório para visitar em NYC. E vocês, o que acharam deste parque?

Outras publicações sobre NYC:

2 comentários:

  1. Achei um parque muito interessante.
    Beijinhos :)
    https://dailyvlife.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. É realmente uma ideia fantástica, adorava ter a oportunidade de visitar um dia!

    Mil beijinhos,
    www.lifewithju.com

    ResponderEliminar

Design, coding and theme by Ana Garcês.
Copyright © A GIRL IN MINT GREEN, EST. 2014